QUAL O VALOR QUE VOCÊ TEM E NÃO PERCEBE?

mulher-sorrindo

Tenho visto pessoas numa busca desenfreada e muitas vezes sofrida porque estão apenas olhando para a grama do vizinho. Sem ter a percepção de quem são e qual valor elas têm.

Pera lá, você já fez pelo menos algumas perguntas sobre os valores que te regem ou já parou para escutar a sua voz interior?

Sim, a sua vida pode estar medíocre ou quase isso porque você não se deu conta que tá pegando pesado com você mesmo e que talvez se permitisse o tempo necessário para se observar, iria descobrir a pessoa fantástica que pulsa aí dentro e tá abafada por conta de não ter descoberto ainda do que é capaz de ser, fazer e ter.

Perguntas tais como: 

  1. Qual foi a coisa que já fez que deixou você entusiasmado e feliz? 
  2. Qual a coisa que você consegue fazer melhor? 
  3. Que lugar você se sente bem? 
  4. O que dá tesão quando faz? 
  5. O que você não gostaria mais de viver? 
  6. O que é mais importante na sua vida? 
  7. Como você gostaria de estar vivendo hoje? 
  8. Quanto você está satisfeito com o que tem?

Os valores são formados com base na nossa experiência de vida e que nos leva a fazer o que fazemos, do jeito que fazemos. E são os motivos do que fazemos que nos aproxima ou nos afasta da direção do que queremos nos tornar.

Na verdade, acredito na lapidação de parte do SER o que já É.

Muitas vezes as coisas não fluem porque não estamos fazendo um raio-x de nós mesmos ou não identificamos os valores que temos e nossas ações são incongruentes à eles, tornando assim a vida medíocre.

Se não tomarmos consciência de quem somos e não nos unirmos aos nossos valores, dificultamos a vida, porque não teremos as respostas que vão nos levar para um próximo nível.

O mundo nos apresenta modelos baseados em verdades alheias, mas só você pode identificar as suas. Em alguns momentos cale as vozes exteriores e ouça a sua…você pode se surpreender com o vai descobrir, do potencial que existe em você adormecido. 

Desligar o piloto automático vai ajudar você a perceber de certa forma se está ou não violando sua própria felicidade por não se conhecer e não perceber que valores lhe regem.

Tem pessoas que ao sair de casa vivem um personagem moldado aos ambientes sociais e ao mundo corporativo e não conseguem ser 100% eles, gerando assim uma insatisfação pessoal, por não viverem a sua própria personalidade com seus valores definidos.

Percebo que vem acontecendo uma mudança da procura do mais simples e mais interiorizado em uma conexão do eu criativo com características mais humanizadas. Isso parece ser um bom sinal! Quem sabe as pessoas estão mais conscientes? Quem sabe estamos começando a fazer as coisas mais convenientes para nossa própria felicidade? Para nosso bem-estar e assim viver o verdadeiro propósito.

Termino sugerindo que faça mais essas 3 perguntas quando decidir por uma escolha:

  1. Eu quero? 
  2. Eu devo fazer? 
  3. Eu posso?

Você nunca estará 100% pronto para o seu futuro, ele pode surpreender! No entanto, se comprometa com a sua felicidade e realização. Assim valerá todo esforço.

Um cheiro.